Os Clichés dos Doentes

Devem estar a estranhar a nossa ausência. Bem, tudo pode ser facilmente explicado: o Sr. Ténis adoeceu; eu sou invejosa e imitei-o. Agora ele já está quase bom, e eu estou presa em casa por ordens do médico. Nós mulheres somos sempre tramadas…

Pensei então em vir-vos falar um pouco acerca dos doentes – poupando-vos a todos aqueles detalhes blhacs das tosses, febres e gargantas inflamadas que ninguém quer saber – e de algumas das suas maneiras de agir. Ora vejam:

1. O doente que não está doente

Sabem aquela pessoa que está constantemente de lenço na mão e ranhoca no nariz? Que anda a tremer no meio de Agosto e com ar de morte o ano inteiro? Que passamos a vida a dizer “estás doente” e ela diz que não. Essa pessoa é o doente que se recusa a estar doente. Sente os sintomas, até os pode combater, mas nunca na vida os vai admitir e vai continuar com a sua vida normal sem interferências. Estar doente é para fracos.

2. O doente que é melhor que o médico

Se o médico disse para tomar o comprimido duas vezes ao dia, o doente toma três; se o médico disse para tomar o medicamente X, o doente toma o Y porque ouviu dizer que é melhor. Este é aquele doente que embora vá ao médico, acha sempre que sabe mais e melhor e portanto faz quase tudo ao lado das indicações que lhe foram dadas. Afinal, quem sente o seu corpo é ele, certo?

3. O doente que tem medo do médico

Fui ao médico com uma dor de cabeça, agora dói-me a cabeça, a garganta e o dedo mindinho do pé“. Existe qualquer coisa nos médicos que assusta as pessoas. Não sei se são as seringas ou aquelas luzes compridas que usam para nos ver a garganta quase até ao estômago, mas existem doentes que se recusam a ir ao médico. Ou porque dizem que não vale a pena, ou porque têm receio que o médico veja mais qualquer coisa de mal e não querem lidar com a situação. Mas a verdade é que as coisas continuam lá, e quando são finalmente forçados a ver tudo, é muito pior pois vem tudo de uma vez só.

4. O doente que só quer mimo, e o que não quer nada

Olá, sou eu. Este é aquele doente que fica extremamente mimalhoco. Quando era pequena, nada me sabia melhor do que ir para o sofá encostar-me à minha mãe e pegar-lhe todas estas viroses fantásticas. A verdade é que quando estamos doentes estamos mais frágeis, e quando estamos mais frágeis ficamos mais impossíveis de aturar ao mesmo tempo que queremos mais atenção e mais mimo.

Claro que depois existem aqueles que apenas querem ser deixados em paz.

5. O doente irreal – e que acha que não fica doente

Olá, sou eu de novo. “Ai estás constipado? Não faz mal, eu vou aí na mesma, não vou apanhar isso“. Esse é aquele doente que, embora saiba que é uma florzinha de estufa, continua a achar que por algum milagre de Deus não vai contrair as viroses dos outros. É também aquele que pode ter a garganta destruída, e ainda assim acreditar que no dia seguinte está ótimo para seguir viagem.

6. O Iron Man ( ou woman)

Este é aquele milagre inexplicável da natureza que passa a vida a apanhar frio, calor em demasia, toma duches gelados no inverno, apanha chuva, não anda propriamente bem agasalhado, vive no meio de tempestades… E, de alguma maneira, está sempre bem. Na verdade não é bem um doente, é apenas alguém que nos chateia – a nós comuns mortais – profundamente. Este é o Sr. Ténis durante a maior parte do ano.

Então e vocês, que tipo de doente costumam ser?

– Sra. Saltos

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s